Prope est ut a Carmine.
miguel torga
(vulgata: helium magellanicum olivam)

longo tempore non scribere poem
   de amore.
Et quid possum mitius corriperentur?
Naturæ lusitana mea
habet hoc homine
gratia
auguratricis
transmutare in crystallum
quod magis sensuali et
hebetem
ebrietas.

Sed qui vetustioribus mihi
quare nemo velit amet
Aut vetus amator
Et ego tacebo corde
An intimam verecundia,
- Non diu est scribere carmen
   de amore.


Quase um Poema de Amor
Miguel Torga

Há muito tempo já que não escrevo um poema
   de amor.
E é o que eu sei fazer com mais delicadeza!
A nossa natureza
Lusitana
Tem essa humana
Graça
Feiticeira
De tornar de cristal
A mais sentimental
E baça
Bebedeira.

Mas ou seja que vou envelhecendo
E ninguém me deseje apaixonado,
Ou que a antiga paixão
Me mantenha calado
O coração
Num íntimo pudor,
- Há muito tempo já que não escrevo um poema
   de amor.