patientiam
Lenin
(vulgata: helium magellanicum olivam)

Cum vita quietior paulo petit
etiam corpore quærit paulo animam
Vita non cessat.

Propero celeritatibus et tempus, ut rogat,
Nolo, tardius, et vado ad saltatio
Vita tam rarus est ...

Omnibus dum ad remedium malorum expectat
Normalis et furias Aiacis dissimulanda omnia
Ego dissimularet se esse patientem,
Et mundus valde velocius et velocius
Orbis terrarum, et exspectat nos expectamus:
A paulo patientia.

Numquid tempus vobis defectum intellegat.
Utrum habere tempus perdendi.
Et qui vult scire?
Vita rarum (rarus).

Etiam cum postulat parum tranquillitas.
Parum corpore postulat animam.
Scio, non decelerates (non cessat vita).

Numquid tempus vobis intellegat,
Numquid tempus terere nos?
Qui vult scire?
Vita tam rarus est (ut rare).

Cum postulat paulo amplius tranquillitas.
etiam corpore quærit paulo animam
Scio, tam rarus est
(Vita non ad vitam ...)

Paciência
Lenine

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para

Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida é tão rara

Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência
E o mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência

Será que é tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para (a vida não para não)

Será que é tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida é tão rara
(a vida não para não ... a vida não para)