morieturs morietur
Ivanum Junqueira
accommodatæ: magellanicum olivam

hæc mors est:
inania lumina claudunt.
obliviscamur quæ cum vidisset.

non infinitam,
sed Faustian et ambiguo
scurræ Atticus inter fabularum et historiam.

tacita vale dicens,
Epitaphium sine ac mellifluis.
sine avarus voluntatem.

similis esset discincto,
vestimenta non gerunt dum vivere.
iam frustra nunc.

nihil relinqueret: memoriam, peculio, genealogiæ suæ,
vestigium quidem ullum eorum.

consummationem est; ut B. anthracis
in lucis, ubi omne cadit,
excessu sine neque martyrium.

                         In Griffin (MCMLXXXIII-MCMLXXXVI).

Morrer
Ivan Junqueira

Pois morrer é apenas isto:

cerrar os olhos vazios

e esquecer o que foi visto;


é não supor-se infinito,

mas antes fáustico e ambíguo,

jogral entre a história e o mito;


é despedir-se em surdina,

sem epitáfio melífluo

ou testamento sovina;


é talvez como despir

o que em vida não vestia

e agora é inútil vestir;


é nada deixar aqui:

memória, pecúlio, estirpe,

sequer um traço de si;


é findar-se como um círio

em cuja luz tudo expira

sem êxtase nem martírio.

                         De O Grifo (1983-86)