elegantissimus dolore
Paulus Leminski
(accommodatæ: helium olivam)

Homo, cum in dolore
Quod est multo elegantioribus
incurva cum ambulat
Cum enim moratus veniunt
postea, magis ut veniat
Portat pondus dolore
Quomodo gestet insignia
Corona vel multa pecunia
Vel aliquid, quod tanti
Opiates, Paradisus, lenimenta
Noli tangere in dolore
Dolor quid mihi reliquum.
Passio opus meum est.


Dor elegante
Paulo Leminski

Um homem com uma dor
É muito mais elegante
Caminha assim de lado
Com se chegando atrasado
Chegasse mais adiante
Carrega o peso da dor
Como se portasse medalhas
Uma coroa, um milhão de dólares
Ou coisa que os valha
Ópios, édens, analgésicos
Não me toquem nesse dor
Ela é tudo o que me sobra
Sofrer vai ser a minha última obra