contritio æternam
augustus de angelis
(verba accommodatio: helium magellanicum olivam)

Vir qui conpatiuntur cum pestem
Orbis terrarum tristitia, qui ex contristatus
sunt per omnia sæcula sæculorum
et dolor suam cessare numquam!
Et in nihilo credit, quia nihil est nihil adducere
nihil consoletur dolorem, illam quas experitur
ad resistendum resistere tanto
si enim demergit in cicatrix ac magis augetur.
quia tu es pati,
sciat dolorem, sed non nesciat
Est dolorem quod sic est sine fine, hoc non apta
in ejus vita, quia est æternum luctum

transponit vita ex tua inops corporis
et hominis fit vermis
Et manet luctum attachiatus !




Eterna Mágoa
Augusto dos Anjos

O homem por sobre quem caiu a praga
Da tristeza do Mundo, o homem que é triste
Para todos os séculos existe
E nunca mais o seu pesar se apaga!
Não crê em nada, pois, nada há que traga
Consolo à Mágoa, a que só ele assiste.
Quer resistir, e quanto mais resiste
Mais se lhe aumenta e se lhe afunda a chaga.
Sabe que sofre, mas o que não sabe
É que essa mágoa infinda assim, não cabe
Na sua vida, é que essa mágoa infinda

Transpõe a vida do seu corpo inerme;
E quando esse homem se transforma em verme
É essa mágoa que o acompanha ainda!