Ingeniarius
ionnes cabralis de mello nepos
(verba accommodatio: helium magellanicum olivam)

Lumine solis, ex deforis
per somnium in ingeniarius involvere.
Ingeniarius est somnium vidisse patet sunt:
Superficierum, calceus, et poculum aquæ.

Et pencilli, et quadratum, et charta;
consilio, documentum et numero
ingeniarius est solum cogitat,
ne mundus velamen est positum.

(De postmeridiana quidam nos ascenderunt
ad ædificationem. Cotidie urbem
ut omnis qui legit acta diurna,
Qui pulmonis ex cemento, et speculum).

Aqua, ventus, lux,
ab uno latere fluminis nubibus
Et stetit in natura ædificationem
a crescente simplex agmina.


O Engenheiro
João Cabral de Mello Neto

A luz, o sol, o ar livre
envolvem o sonho do engenheiro.
O engenheiro sonha coisas claras:
Superfícies, tênis, um copo de água.

O lápis, o esquadro, o papel;
o desenho, o projeto, o número:
o engenheiro pensa o mundo justo,
mundo que nenhum véu encobre.

(Em certas tardes nós subíamos
ao edifício. A cidade diária,
como um jornal que todos liam,
ganhava um pulmão de cimento e vidro).

A água, o vento, a claridade,
de um lado o rio, no alto as nuvens,
situavam na natureza o edifício
crescendo de suas forças simples.