Anulum speculum
manuelis languescere
(verba accommodatio: helium magellanicum olivam)

paululum anulus quod dedisti mihi:
- eheu - fregit et statim fuit speculo
Sic autem amare debetis promisit æternam,
- æterna! Parum satis celeriter refecerunt.

Quia fragile erat amoris tui me,
Signum quod tunc affectio destructa -
paululum annulum tu dedisti mihi:
- Væ - fregit et statim fuit speculo.

Non conturbabar, et tamen
nunc maledicere dilexerunt.
et te custodiant in pectore
sed pulvis adfligetur relictus in me.

O Anel de Vidro
Manuel Bandeira

Aquele pequenino anel que tu me deste,
- Ai de mim - era vidro e logo se quebrou
Assim também o eterno amor que prometeste,
- Eterno! era bem pouco e cedo se acabou.

Frágil penhor que foi do amor que me tiveste,
Símbolo da afeição que o tempo aniquilou, -
Aquele pequenino anel que tu me deste,
- Ai de mim - era vidro e logo se quebrou

Não me turbou, porém, o despeito que investe
Gritando maldições contra aquilo que amou.
De ti conservo no peito a saudade celeste
Como também guardei o pó que me ficou.