(Quod sint) verborum
Eugenius Andradis
(verba accommodatio: helium magellanicum olivam)

Tamquam crystallum,
verba.
Alii, pugione,
ignis.
aliis,
ros.
cum arcanum venit,
memoria plena.
Statio male fida navigantes;
aut naves aut oscula
aqua concutiuntur.

Inops et innocentes,
levitate.
bysso retorta lux
nocte sunt.
Et quidem pallidus
adhuc recordabor portubus morabatur.

Qui audivit?
Corpora conquirenti, itaque
atrox, et in inordinatio;
in pura conchas legerent?


As palavras
Eugènio de Andrade

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam;
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?